A garota dos Bilionários
Cena Bônus

Amber
Três anos depois

Eu estava parada na frente do espelho, fazendo uma careta para o meu reflexo. “Eu não gosto de nada que tenho no guarda-roupas!”.
A cabeça de Owen apareceu na quina do closet, com um sorriso maroto pronto para responder: “Seu guarda-roupa?”.
Eu olhei para ele: “Você entendeu”.
“Tem muito seu e nosso rolando nesta casa ultimamente”, ele disse casualmente. “Sinto que sou vítima de uma aquisição corporativa”.
“Foi você quem me convidou para trazer metade das minhas coisas para cá!”, gritei de volta.
Ele deu de ombros casualmente. “Só estou dizendo. Se amarrar não estava no cardápio. Eu tenho várias opções, criança. Muitíssimas”.
Eu joguei um sapato nele e apertei o botão vermelho do quarto do pânico na parede. A porta do closet se fechou e as trancas se moveram pesadamente para os seus lugares.
“Estou de castigo?”, ele perguntou pela porta.
Aquilo tinha se tornado nossa piada. Owen não queria nada oficial para nos amarrar. Aquilo fazia sentido do ponto de vista prático, já que eu estava em relacionamento com ele, Jude e Furio. Mas Owen também alegava não acreditar na ideia de casamento. Não precisávamos trazer o sistema legal para o nosso relacionamento, ele gostava de dizer. O que nós tínhamos era mais forte do que um mero pedaço de papel.
E, mesmo depois de trazer a maior parte das minhas coisas para a casa dele, a provocação continuou. Porém, eu não me importava.
“Acho que me lembro de quando você me trancou no closet”, Owen disse.
“Você mereceu”, eu disse, tirando o vestido e correndo os dedos pelas opções na arara. Escolhi um vestido preto de renda e disse: “E sim, eu sei como aquilo assustou Tux”.
“Me deixe entrar”, ele disse. “Preciso dos meus sapatos”.
“Você quer dizer um dos seus cem pares de Air Jordans?”, provoquei. “Não sei por que você gosta tanto de tênis. Eles são antiquados”.
O ouvi se engasgar. “Anti – antiquados? Você está falando sério? Eles são clássicos. É um visual retrô, Amber. Nunca vai sair de moda”.
Eu ri. “A-hã. Claro”.
“Abre”.
“Não. Você precisa usar sua IA doméstica chiquérrima para entrar aqui”, eu sorri para mim mesma. “Que pena que ela não consegue te ajudar a entrar em outras partes”.
“Não acho que ela precisa me ajudar”, ele respondeu.
Eu ri para mim mesma. Ele estava certo.
Owen ficou em silêncio, e eu me perguntei o que ele estava aprontando. Então meu celular vibrou no bolso da minha calça no chão. eu o peguei e olhei o que era.
Meu papel de parede tinha mudado. Ao invés da logo da SE era um cartoon de Owen March. Ao redor da imagem, havia corações e frases tipo “Lindo”, “Eu amo Owen”, “A e O se amam loucamente”. Parecia o tipo de coisa que uma garota de treze anos teria no seu diário.
“Que merda é essa?”.
A porta se abriu presumivelmente, porque Owen a destrancou manualmente, usando seu celular. “O quê? Algo interessante no seu celular?”, ele se inclinou e se engasgou. “Ah, uau. Parece muito comigo. Você capturou meu sorriso charmoso”.
Dei uma cotovelada de brincadeira nele. “Você seriamente encomendou um cartoon seu para invadir meu celular e usar como papel de parede?”.
Ele sorriu amplamente e se encostou na parede do closet. “Os quinhentos dólares mais bem gastos da minha vida. E claro, o programa de encriptação que você baixou? Foi a vulnerabilidade que eu precisava para explorar”.
Xinguei, enquanto suspirava. Tínhamos continuado nossas pegadinhas pelos últimos três anos e não importa o que eu fizesse, Owen conseguia se vingar. Ele apreciava me lembrar de que não era só uma figura pública. Ele ainda tinha habilidades de hacker.
Vamos ver quem vai rir no fim da noite.
“É este o vestido”, ele disse. Seus olhos se moviam pelo meu corpo, como uma carícia. “Sim. É este”.
A mão de Owen deslizou pela minha bunda e então para a minha nuca e ele me beijou com força. Ele sempre ficava excitado, quando me pregava peças, e eu não podia reclamar. Três anos juntos e ainda existia toda aquela atração insaciável e profunda entre nós.
Eu tinha começado a me perguntar se ele queria me ver sem o vestido, quando alguém bateu à porta do apartamento. “Estamos aqui!”, eu gritei. Alguns segundos depois, Jude apareceu. Seus olhos brilhavam, e ele sorriu quando me viu, como sempre.
Nunca vou me cansar dessa carinha.
“Estou tentando decidir o que usar hoje”, eu disse.
“E eu invadi o celular de Amber”, Owen zombou. “O algoritmo TrueCrypt? É uma porta clandestina governamental. Fácil de explorar, depois que paguei as pessoas certas”.
Jude revirou os olhos e entrou no closet. Ele me deu um beijo, misturando seu gosto com o de Owen nos meus lábios, e então me olhou longamente. 
“Este vestido é perfeito”. Ele se virou e mexeu na minha caixa de joias. “Com esses brincos e … aqui, este colar”. Ele o segurou contra meu pescoço. “Ah, sim, você nunca esteve tão linda”.
“Ótimo, esquece minha invasão”, Owen murmurou, enquanto pegava um par de tênis e saía do closet.
Puxei meu cabelo para cima e me virei para Jude poder fechar meu colar. “Me lembro quando era eu quem te dava conselhos de moda”.
“Eu melhorei, não foi?”, assim que o colar estava preso, ele beijou gentilmente minha nuca. “Nervosa com esta noite?”.
“Acho que sim?”, eu disse. “Nunca me aposentei antes”.
“É fácil. Especialmente com boas relações”.
“Ainda sinto como um término!”.
Seus lábios tocaram os meus de novo. “Estaremos lá com você”.
Eu suspirei, enquanto ele me abraçou por trás. “É só por isso que não estou completamente surtada”.
“Quantas listas você já fez, desde que decidiu sair?”.
“Uma”.
Ele me virou em seus braços, seus olhos azuis penetraram os meus por detrás dos seus óculos. Mordi meu lábio e desviei o olhar.
“Ok. Eu fiz cerca de cinco listas por dia”.
“Foi o que pensei”. Ele me beijou, então, beijou meu cabelo e disse: “Você está assustada, mas é muito empolgante. Você vai ver!”.
Escolhi um par de sapatos – de novo com a ajuda de Jude – e terminei de arrumar meu cabelo no banheiro. Quando finalmente saí, os dois bilionários estavam parados na sala me esperando. Jude, com um visual suave como sempre: camisa sem gravata, mangas dobradas, revelando seus antebraços. Mas Owen me surpreendeu. Ele estava usando um terno cinza escuro, bem ajustado ao seu corpo, e uma gravata dourada com desenhos que pareciam a logo da SE. As abotoadoras combinavam, também com a logo da empresa. Os Air Jordans retrô nos seus pés eram a única parte dele que parecia normal.
“Ok. Isso deve ser parte de alguma pegadinha”, eu disse. “Mas não sei como”.
“É uma grande noite!”, ele disse enfiando as mãos nos bolsos. “Uma garota que conheço vai anunciar que vai começar seu próprio negócio!”.
O aborrecimento e a vergonha que eu tinha sentido mais cedo, quando ele invadiu meu celular, desapareceram. Owen conseguia ser doce e carinhoso, mas ele raramente era … genuíno? O beijei, saboreando o momento.
“Ok, é melhor irmos andando”, ele disse. “Conselheira – trancar portas até voltarmos”.
Eu fiz uma careta. Merda.
A voz que respondeu do teto não era a da Conselheira Troi de Star Trek. Nem minha voz sarcástica. Não, era a voz anasalada que soava como unhas em um quadro negro de Gilbert Gottfried.
“TRANCAS ATIVADAS! ATÉ LOGO, OWEN!”.
Tux, ao ouvir a voz, pulou do sofá e correu para se esconder no closet.
Jude começou a rir com tanta intensidade que precisou cobrir a boca com a mão. Owen piscou, olhando para o teto, então me encarou. Eu dei um sorrisinho fraco.
“Encontrei uma vulnerabilidade na sua geladeira”, eu disse me desculpando. “Você precisa manter suas coisas atualizadas”.
“Conselheira – que horas são?”, Jude perguntou entre a crise de risadas. Mais uma vez, a voz de Gilbert Gottfried invadiu a ar feito chicote.
“SÃO SETE E CINQUENTA E SEIS NA COSTA DO PACÍFICO”.
Owen me encarou.
“Você fez isso invadindo meu celular!”, eu disse esperançosa.
Perto da porta, Jude continuava rindo histericamente.
Os rapazes tinham um motorista particular, e ele nos levou para o Marcello’s. O terraço estava reservado para nossa festa – e me certifiquei de que fizéssemos isso semanas antes, para evitar surpresas. “Sim, ok”, Owen disse, quando fiz a reserva. “A última coisa que eu preciso é de outra Amber Moltisanti me chamando de arrombado na frente de todos”.
Todo mundo já nos esperava no terraço: Davi, Nancy e seu bebê de um ano no canguru; Will Won e Will Crawley; Melinda e seu marido, Jimmy; e, é claro, minha irmã Michelle e seu novo namorado, Alessandro, que tinha visitado São Francisco com Furio e imediatamente se apaixonou perdidamente por minha irmã.
Furio estava lá também, é claro, parecendo um príncipe, com roupa de executivo. Ele segurava duas taças de vinho e me deu uma antes de me abraçar.
“Senti saudade, meu amor”, ele sussurrou no meu ouvido, como sempre fazia, e seu sotaque sexy me fez arrepiar a espinha e desejar que não houvesse ninguém por perto.
“Pensei que você viria para o apartamento antes”.
“Nosso avião atrasou. E eu estava fazendo outras coisas”.
“Coisas?”.
Furio sorriu marotamente e acenou. “Por que estamos falando de frivolidades? Venha! Eu trouxe dois dos meus melhores amigos da Itália e desejo que eles a conheçam. Este é Marco, e este homem tímido é Renzo”.
Eu sorri ao conhecer os amigos de Furio. Não havíamos nos falado muito, mas uma das coisas que os impressionou foi a forma como Furio estava enamorado. “Eu nunca o vi assim”, disse Renzo. “Ele está enfeitiçado pelo amor”.
Me inclinei para mais perto de Furio.
Comida e bebida foram servidas e, finalmente, era a hora de fazer o que eu tinha ido fazer. Owen desligou a música e pediu a todos que ficassem quietos. Todos os olhares se voltaram para mim, e eu senti um nó na garganta.
“Alguns de vocês já sabem disso, mas no final deste mês”, eu disse, “… deixo a SE”.
Ouvi vários sons de choque e recebi olhares surpresos. Michelle me mostrou os dois polegares e murmurou: “Te amo”. Jude e Owen estavam todos sorrindo amorosamente com apoio e orgulho.
“Eu amei cada momento nesta empresa, mas ela está crescendo de forma que não me permite fazer o que eu realmente quero”, expliquei. “Pensei muito e vou tirar algum tempo para me dedicar a alguns projetos pequenos, sozinha”.
“Você está falando da criptomoeda que você quer criar?”, perguntou Nancy.
Me assustei. “Como você sabe disso?”.
“O segredo menos secreto desta empresa”, disse Melinda. “Todo mundo sabe o que você quer fazer. Você só fala nisso, desde que a ArgoCoin 2.0 foi lançada”.
“Você vai chutar muitas bundas!”, Will Won disse. “Com sua experiência em tecnologia e sem entraves legais …”.
“Ei”, Owen disse defensivamente. “A SE é uma empresa de capital aberto. Estamos restritos no que diz respeito à ArgoCoin 2.0, mas ainda assim é uma criptomoeda maravilhosa!”.
“Seja lá o que for que você fizer, vai ser melhor” Dave disse, levantando-se para me abraçar. “Vamos sentir sua falta, mas sabemos que você vai mandar muito bem no que for fazer”.
Chorei, enquanto todos me congratulavam e me abraçavam. Will Crawley fez uma piada sobre eu vender ou não minhas ações da SE.
Michelle começou a chorar. “Papai ficaria muito orgulhoso de você”, ela disse, e ambas choramos ainda mais.
Furio pediu champanhe, cinco garrafas chegaram, mas ele dispensou o garçom e insistiu em me servir. Aceitei e sequei minhas lágrimas. Todo mundo estava me olhando, dei-me conta. Michelle tinha o celular a postos, como quem ia começar a filmar.
Eles querem que eu proponha um brinde?
Então percebi que havia algo no fundo da minha taça. Várias coisas, brilhando cobertas pelas bolhas do champanhe.
Aquilo é …
Eu virei a taça na minha palma para ver o que era. Owen fez uma careta e disse algo sobre desperdiçar um Dom Pérignon, mas eu estava muito focada na minha mão para notar.
Três anéis de diamante feitos de ouro amarelo.
Eu me engasguei e olhei em volta. Todo mundo estava rindo, como se soubessem.
“Segundo segredo menos secreto da empresa”, disse Melinda.
“Eu sabia que queria fazer isso no momento em que a vi na SE”, disse Furio pegando um dos anéis da minha mão e o limpando na manga do seu terno caríssimo. “No momento em que você disse a palavra arrombado. E não, não estou brincando”.
“Quando você me chamou de arrombado, eu odiei”, Owen admitiu. “Demorou um pouco mais para eu me apaixonar por você, mas me apaixonei. E nunca me apaixonei tão profundamente”.
“Mais cedo você falou sobre se amarrar!”, eu sibilei. As lágrimas rolavam pelo meu rosto.
“Considere minha pegadinha final”, ele riu. “Te peguei, não foi?”.
Jude colocou uma mão no meu braço e me fez pular. Ele pegou sua aliança e a olhou por um momento. “Eu realmente não acredito em destino. Ou não acreditava, até te conhecer. Eu nem queria ter vindo para este terraço uns anos atrás, quando Owen e eu conheceríamos Furio. Mas eu vim, e a conheci no bar, e minha vida …”. Ele ficou vermelho com ferocidade, e eu o amei mais ainda por isso. “Minha vida mudou tanto por uma coisa tão pequena. Eu te amo, Amber Moltisanti, e te amarei para sempre. Você quer se casar comigo?”.
“Você quer se casar conosco?”.
Naquele momento, minha vida passou diante dos meus olhos. Não o passado, mas o futuro. A vida que eu queria ter com aqueles três homens, trabalhando, e amando, e vivendo a vida na máxima potência. Nunca pensei que seria tão feliz e, às vezes, eu sentia que estava vivendo um sonho e que acordaria a qualquer momento. Mas eles estavam me oferecendo aquilo permanentemente. Toda aquela maravilha, pelo resto das nossas vidas.
Então, meu cérebro fez uma lista.


Motivos para me casar com eles:
1. Todos.


Motivos para NÃO me casar com eles: 
1. Nenhum. 


“Ei!”, disse Owen. “Não se atreva a fazer uma lista!”.
“Não consigo evitar!”, eu disse. “É o que faço quando estou estressada, e agora meu coração está pulando do peito!”.
“Sério?”, Jude perguntou. “Você está fazendo uma lista?”.
Eu o beijei e disse: “Foi a lista mais fácil da minha vida”.
Estendi minha mão e os três homens colocaram as alianças nos meus dedos, então todos comemoraram, choraram e se abraçaram.